Damião Ramos Cavalcanti

Enquanto poeta morrer, a poesia haverá de viver

Textos

(À Flor da Serra da Borborema)

Damião Cavalcanti

Flor, nascida entre pedras,
Mais feliz do que já era
Outras nascidas na terra.
Talvez por ser solitária,
Cercada pelo cascalho,
Mais bela, sozinha a esmo,
Linda cor, sinal do atalho.
A brisa lá da montanha
Dava-lhe delicadas pétalas,
De ímpar fragrância estranha.
A flor, que nasceu na pedra,
Verde sozinha sorria,
Inspira rara beleza,
Flor da minha poesia.
Damião Ramos Cavalcanti
Enviado por Damião Ramos Cavalcanti em 16/01/2010
Alterado em 16/01/2010
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Texto de Damião Ramos Cavalcanti). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
http://www.drc.recantodasletras.com.br/index.php