Damião Ramos Cavalcanti

Enquanto poeta morrer, a poesia haverá de viver

Textos




                             A música de São João

          O santo não tem música, mas a festa do santo, sim. O festejo junino somente divide comidas de milho, forrós, quadrilhas com casamento matuto e também música nordestina com o de Santo Antonio, de véspera, e, dias após, com a Festa de São Pedro. A comemoração determina a música que a caracteriza, e isso deve se observar. A Igreja,  mestra em rito e liturgia, jamais colocaria uma música exultante e jubilosa numa cerimônia fúnebre, mas uma de som triste e lutuoso. O que também se evita, até por equívoco, a Marcha Fúnebre, de Chopin, no lugar da Marcha Nupcial, de Mendelsson, "con brio", para a noiva entrar triunfalmente nas alegrias do seu casamento.
          Mutatis mutandis, no "grito de carnaval" jamais caberá o melhor "forró de Luiz Gonzaga", mas o frevo "Vassourinha", da sanfona de Sivuca. Não trocam o instrumento, mas a música, tocando-a adequadamente conforme dita o gosto popular. Ora, tudo não deve ser comprado segundo a vontade do "dono da festa", do dirigente público, mas de acordo com nossos costumes e tradição. Algum desrespeito a qualquer ritmo? Não, mas respeito e valorização à música escolhida e consagrada pela sabedoria popular à cada circunstância para festejar a vida.
          Disso muito tem falado a mídia, discutindo claras preferências: "Contrataram" bons cantores, boas artistas para cantarem "música sertaneja" sulista, no "maior São João do Mundo", da paraibana Campina Grande, cujos festejos sempre se caracterizaram pelos costumes interioranos, pelos trajes matutos e especial música do nordeste brasileiro; e não pela diferente música dos pântanos mato-grossenses, dos cerrados goianos ou dos pampas gaúchos. Admiro tudo que for música, mas prefiro a música das fazendas nordestinas à das estâncias do sul, sobretudo numa Festa de São João. A cultura em si é universal, mas enquanto depende de fatores físicos, biológicos e sociais, ela é relativa, relativa ao nosso querido nordeste; e esse relativismo precisa ser respeitado.   


 
Damião Ramos Cavalcanti
Enviado por Damião Ramos Cavalcanti em 13/06/2017
Alterado em 17/06/2017

Música: Marcha nupcial de mendelsson - Musical Forever

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Damião Ramos Cavalcanti). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
http://www.drc.recantodasletras.com.br/index.php