Damião Ramos Cavalcanti

Enquanto poeta morrer, a poesia haverá de viver

Textos


CÍLIOS AMADOS



Os cílios dos teus olhos
Se orgulham em protegê-los.
Guardam a íris dos teus sonos,
Protegendo com carinho
Dos raios do claro sol.
Os cílios dos teus olhos
Preveem qualquer perigo.
Se badalam os grandes sinos,
Fecham-se para o desvelo;
Abrem-se para o amor;
Fecham-se durante a dor
Ou nas horas do prazer.
Teu corpo, ao anoitecer,
Deita teus cílios abertos,
De repente se reviram
Ao desejo descoberto,
Retocam tua beleza
No tamanho da perfeição.
Contados como enfeites
Esses cílios são teus lírios.
Caem pelo teu leito,
Nos lençóis da natureza,
Como folhas do outono,
Sem perder tua beleza.
 
Damião Ramos Cavalcanti
Enviado por Damião Ramos Cavalcanti em 19/10/2011
Alterado em 19/10/2011
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Damião Ramos Cavalcanti). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
http://www.drc.recantodasletras.com.br/index.php